Sobre o Parque
Estadual Serra do Mar

Criado em 1977 e ampliado em 2010, o Parque Estadual Serra do Mar (PESM) é a maior Unidade de Conservação de toda a Mata Atlântica. Seus 332 mil hectares protegem 25 municípios paulistas, conectando as florestas da Serra do Mar desde o Rio de Janeiro e Vale do Ribeira, até o litoral sul do estado.

Suas escarpas dominam a paisagem do litoral paulista, suas florestas abrigam e protegem centenas de espécies de aves e outros animais ameaçados, como felinos e primatas. Entre jequitibás, jatobás, uricuranas, canelas, cedros, manacás-da-serra, guanandis, guapuruvus e palmeiras juçara, abrigam-se a onça pintada, onça parda, muriqui, bugio, jaguatirica, anta, paca, guaxinim, lontra, tucano-de-bico-preto, araponga, jacu-açu e centenas de outras aves.

Com a finalidade de assegurar a proteção integral aos mananciais que abastecem parte da Região Metropolitana de São Paulo, Baixada Santista, Litoral Norte e Vale do Paraiba, o PESM contribui também para o equilíbrio climático e estabilidade das encostas.

Comunidades tradicionais de quilombolas, indígenas, caipiras e caiçaras são encontradas em diversos pontos de sua extensão.

Devido à sua enorme extensão, o PESM é gerenciado por meio de dez núcleos administrativos: Bertioga, Caraguatatuba, Cunha, Curucutu, Itariru, Itutinga Pilões, Padre Dória, Picinguaba, Santa Virgínia e São Sebastião. Cada núcleo possui suas características, formando um mosaico de paisagens, biodiversidade, interação social e preservação ambiental.

Inaugurado na época da construção da Rodovia Rio-Santos (BR 101), que abriu o litoral ao desenvolvimento do turismo, o Parque Estadual Serra do Mar é administrado pela Fundação Florestal, instituição vinculada à Secretaria de Estado do Meio Ambiente.

A importância

O Parque Estadual Serra do Mar é o maior corredor biológico da Mata Atlântica no Brasil. Ele destina-se à preservação, à valorização da cultura local, à pesquisa científica e à educação ambiental, permanentemente incentivando a população na busca pela conservação de seus recursos naturais, históricos e culturais.

Entre as 1.361 espécies de animais e cerca de 1200 tipos de plantas registradas por sua extensão, segundo o Ibama, encontram-se protegidos alguns dos principais animais em risco de extinção no país, como o macaco-prego, o bicho-preguiça e a anta (ou tapir). Também fazem parte do ecossistema local espécies ameaçadas da flora nacional, entre elas o palmito e a orquídea Laelia purpurata.

É clara a sua contribuição para a sustentabilidade, principalmente nos núcleos urbanos localizados em seu entorno. Suas florestas, além de constituir belos cenários e paisagens notáveis, preservam nascentes e cabeceiras de rios formadores das bacias hidrográficas do Paraíba do Sul e Tietê, bem como mananciais que abastecem diversos municípios por onde passam, como as regiões da Baixada Santista, Litoral Norte e Litoral Sul, beneficiando milhões de habitantes.

Além disso, o Parque Estadual Serra do Mar possui grande importância nos esforços para amenizar o clima e estabilizar as encostas, o que garante melhor proteção aos moradores de áreas críticas.

Por sua extrema importância e riquíssima biodiversidade, o parque é considerado um polo de concentração das atenções da comunidade científica, ONGs, governos, empresas privadas e demais setores da sociedade, em função da preocupação com a preservação da Mata Atlântica e da necessidade de aprofundamento dos conhecimentos sobre a fauna e a flora da região.


Equipe Equipe do Núcleo


Mata
atlântica

Considerada um dos mais ricos conjuntos de ecossistemas do planeta, a Mata Atlântica abriga enorme variedade de mamíferos, aves, peixes, insetos, répteis, árvores, fungos e bactérias. Estima-se que ela detenha cerca de 20.000 espécies vegetais, pouco mais de um terço das existentes no Brasil.

Quanto aos animais nativos, levantamentos recentes indicam que o bioma abriga aproximadamente 1.020 espécies de aves, 340 variedades de anfíbios e 270 tipos de mamíferos. A região reserva belíssimas paisagens e paraísos tropicais, cuja proteção é essencial à nossa cultura e também ao desenvolvimento econômico, por meio do estímulo ao ecoturismo.

O Parque é lar natural de ampla variedade de organismos de todas as espécies. Por entre ecossistemas terrestres, marinhos e complexos ecológicos presentes em toda a sua área, os visitantes e pesquisadores encontram alguns dos mais belos e exóticos exemplares naturais da nossa fauna, flora e reino fungo.

Baixe aqui mais informações sobre a biodiversidade na Mata Atlântica.

Conheça espécies
em Biodiversidade »

A Serra
do mar

Vista do mar, uma muralha verde nasce nas areias da costa e se agiganta, parecendo querer proteger o interior do Brasil. Sua origem remonta ao Período Cretáceo, há 100 milhões de anos, durante o evento geológico que culminou na separação do supercontinente Gondwana – que agregava o que conhecemos por América do Sul, África, Antártida, Austrália e Índia.

Ao se separar do continente africano, a placa tectônica sul-americana entrou em choque com a placa de Nazca. O impacto acabou por formar a cadeia andina e erguer a placa sul-americana em sua porção leste, gerando a costa brasileira e iniciando a formação da Serra do Mar.

No final do Período Cretáceo, após episódios de seca intensa, houve um longo período de estabilidade climática, permitindo que a vida terrestre se desenvolvesse e se adaptasse. Formaram-se grandes domínios naturais, com estrutura ecológica equilibrada. As feições do relevo sofreram processos de subsidência e soerguimento (imagens ao lado), que contribuíram para que a Serra do Mar adquirisse as características de hoje.