Sobre o
Núcleo
O Núcleo Caraguatatuba surgiu em 1977, incorporado ao Parque Estadual Serra do Mar, na época de sua criação. A área do núcleo era categorizada como Reserva desde o ano de 1956.

Seis anos mais tarde, a reserva foi transformada no Parque Estadual de Caraguatatuba, ampliando seus limites. Seus 35.947 hectares representam pouco mais de 10% de todo o território do Parque Estadual Serra do Mar, sendo esta uma Unidade de Conservação de Proteção Integral.

Exuberantes paisagens formam os remanescentes de Mata Atlântica presentes no núcleo, como os mananciais da represa de Paraibuna, as matas de encosta, os rios, as cachoeiras e os belíssimos cenários vistos da Rodovia dos Tamoios (SP-099) e da Estrada do Rio Pardo.

Três municípios paulistas fazem parte do núcleo: Caraguatatuba, Natividade da Serra e Paraibuna.

Seu nome, homônimo à cidade litorânea, tem referência na planta caraguatá (Bromelia pinguin), que significa “planta espinhosa” na língua Tupi.

O termo “tuba”, que equivale a “muito”, completa a palavra e seu sentido: região onde existem caraguatás em abundância.

Serviços
Ecossistêmicos
O Núcleo Caraguatatuba contribui na regulação da qualidade do ar e do clima, na proteção dos morros, encostas e solos, na polinização, no turismo e na capacidade de proporcionar lazer e bem-estar aos visitantes e moradores do entorno.

A porção de Mata Atlântica preservada presta outros serviços essenciais à população. Os rios percorridos no núcleo formam as bacias do rio Juqueriquerê (maior bacia do litoral norte, com trechos navegáveis), do rio Santo Antônio, do rio Mococa e do rio Guaxinduba.

Juntos, esses rios abastecem todo o município de Caraguatatuba, fornecendo água para mais de 100 mil habitantes. Na região do planalto, o núcleo abriga nascentes que contribuem aos mananciais da represa de Paraibuna.

Juntamente com o rio Paraitinga, eles dão origem ao rio Paraíba do Sul, cuja bacia na porção paulista é o principal curso d’água na região, abastecendo cerca de 12 milhões de pessoas entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Na capital fluminense, ele é responsável por atender aproximadamente 86% da população.

Equipe Equipe do Núcleo


Como
Chegar

Tenha on e off-line informações sobre os núcleos.
  • Como chegar
  • Contatos
  • Atividades

Informe
ao visitante
  • Valor do ingresso: R$15,00
  • Funcionamento: Trilhas abertas de terça a domingo. Necessário agendamento prévio
  • Meia entrada para estudantes legalmente identificados
  • Isenção para menores de 12 anos desde que acompanhados de pessoa maior de idade; maiores de 60 anos; moradores do entorno devidamente cadastrados no parque (RG, CPF e Comprovante de Residência); pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida; escolas públicas
  • Uso obrigatório de tênis ou bota para caminhada
  • Nunca faça um percurso sozinho, você pode não ter como pedir ajuda. Lembre-se: todas as trilhas são monitoradas (Monitores Ambientais)
  • Leve alimentos práticos, leves e saudáveis
  • Nunca deixe seu lixo pelo caminho. Se encontrar algum lixo no percurso, traga-o e deposite-o nas lixeiras do Centro de Visitantes
  • Leve um bom repelente e materiais de primeiros socorros, você poderá precisar
  • Não fume nas trilhas, cigarros podem causar incêndios. Fume em lugar determinado para tal, depois apague o cigarro e deposite na bituqueira
  • Não alimente, capture, persiga, nem maltrate os animais
  • Não colete nem maltrate as plantas
  • Não leve nada do parque para casa, além de fotos, é claro!
  • Não faça fogueiras, isso pode acarretar em incêndios. Os infratores podem ser punidos com multa
  • Não use sabonetes ou shampoos nas cachoeiras, lagos e rios, eles poluem e causam danos aos peixes
  • Nunca pule em águas desconhecidas. Evite riscos desnecessários. Sempre peça a orientação de um monitor
  • Fique atento às condições climáticas. Em caso de chuva ou vento forte, a visita poderá ser cancelada por questão de segurança
Agende aqui
Infraestrutura