Fauna Sabiá-una Turdus flavipes Sabiá-una por Miguel Nema Não ameaçada

O sabiá-una costuma cantar no alto das árvores, apresentando um rico repertório, inclusive imitando outras aves. Essa variedade de cantos originou o nome “sabiá”, que vem do tupi e significa “aquele que reza muito”. Quanto à alimentação, o sabiá-una é onívoro, apreciando frutas, sementes, insetos e minhocas. No período reprodutivo, a fêmea põe de 2 a 3 ovos azulados com manchas marrons em um ninho com formato de xícara, onde serão chocados por 13 dias. Nesta espécie, o macho ajuda nos cuidados com a prole, que após 35 dias já estão crescidos o suficiente para abandonar o ninho. O sabiá-una é geralmente encontrado sozinho ou aos pares, onde fica evidente o dimorfismo sexual desta espécie, ou seja, o macho e a fêmea são diferentes. O macho é preto, com barriga e costas cinzas, contrastando com o bico, pálpebras e pés amarelos. Enquanto a fêmea tem a garganta estriada e é marrom-amarelada nas partes inferiores e mais olivácea nas partes superiores. O sabiá-una vive na mata e em regiões montanhosas, onde pode realizar migrações para locais mais quentes durante o inverno. Ocorre no Brasil, Colômbia, Argentina, Venezuela, Uruguai, Paraguai, Guiana e Trinidad e Tobago.

  • Classe: Aves
  • Ordem: Passeriformes
  • Família: Turdidae

Sabiá-una por Vanessa Trally
Distribuição
  • Caminhos do Mar
  • São Sebastião
  • Santa Virgínia
  • Padre Dória
  • Picinguaba
  • Itutinga-Pilões
  • Itariru
  • Curucutu
  • Bertioga
  • Cunha
  • Caraguatatuba
Pesquisas relacionadas

    Nenhuma pesquisa relacionada. Se você é pesquisador e tem interesse em pesquisar ou enviar sua pesquisa a respeito dessa espécie conheça a Área de pesquisa >>